segunda-feira, 22 de maio de 2017

Pescadores de Caraíbas reconstroem casa derrubada por gerente da fazenda Santa Clara

Pescadores da comunidade quilombola vazanteira de Caraíbas, no município de Pedras de Maria da Cruz (MG), provaram nesse domingo (21/05) a sua resistência na luta pelo território e a força da solidariedade que une a comunidade.

Após dois dias de mutirão, os pescadores reconstruíram a casa de Gildésio Gonzaga dos Santos, morador que tivera a sua residência derrubada na última quarta-feira (17/05), pelo gerente da Fazenda Santa Clara (veja aqui). Uma decisão na Justiça estadual de Minas Gerais, dava reintegração de posse ao dono da fazenda, Rodolpho Rebello, que também é segundo tesoureiro da Sociedade Ruralista de Montes Claros/MG.
A decisão do judiciário mineiro ignora que há quatro anos a comunidade de Caraíbas tem o Certificado de Autorreconhecimento como comunidade quilombola da Fundação Palmares e que conquistou da Secretaria de Patrimônio da União (SPU), o Termo de Autorização de Uso Sustentável (TAUS) de parte de seu território (margens do rio pertencentes à União e ilhas: Capivara, Balaeiro e do Coruja).
A comunidade tem reivindicado à SPU, a necessidade da demarcação física da área concedida, para a garantia da soberania alimentar e para condições de sobrevivência mínima da comunidade, embora reconheçam que o problema só se resolverá de fato, perante a ação de regularização do Território quilombola reivindicado. Desde a reconstrução da casa, fruto da ação coletiva da comunidade de Caraíbas, a esposa e os cinco filhos de Gildésio, que tinham passado os últimos dias hospedados na casa de familiares, voltaram a ter um lar. Gildésio, no entanto, ainda demorará a ver a sua nova casa, já que está preso desde o dia 17, por não ter abandonado a sua residência no momento da ação de derrubada.
Ao finalizar a reconstrução da casa, os pescadores comemoraram a vitória da ação de resistência, bradando o grito de luta do MPP: "No rio e no mar: pescadores na luta!/ Nos açudes e nas barragens: pescando liberdade!/ Hidronegócio: resistir!/ Cerca nas águas: derrubar!" Veja o vídeo!
video

Nenhum comentário:

Postar um comentário